12/26/2007

Ordem natural das coisas

Rincón trocou o Corinthians pelo Santos e se arrependeu, voltou mas não conseguiu ser o mesmo.
 
Ricardinho trocou o Corinthians pelo São Paulo e se arrependeu, voltou mas não conseguiu ser o mesmo.
 
Como esses existem vários, são apenas dois exemplos.
 
Se um empresário, raposa velha de negociações, entende que este é o momento de um jogador, o melhor é tentar negociá-lo o mais depressa possível, antes que caia no esquecimento e sua produção volte a ser pífia.
 
Empresário não pensa no clube e tão pouco no bem do jogador, pensa no bolso e este fala mais alto.
 
Agora a pergunta: Será que o jogador é manipulável ou é conivente com a situação?
 
Pra pensar...
 
 
Postar um comentário