12/21/2007

O som da sirene

A sirene do Parque Sâo Jorge é tão tradicional quanto a fumaça do Vaticano, ambas são conhecidas por importantes avisos, no caso do Corinthians, para anunciar uma contratação de peso.
 
Desconfio que a sirene vai tocar novamente muito em breve. Vamos juntar as peças do quebra-cabeça:
 
O Real Betis tem uma dívida com o Corinthians e poderia (estou especulando) emprestar um jogador de seu plantel para compensar tal dívida. O que significaria uma contratação a custo zero.
 
Jogadores do Betis que são brasileiros: Luiz Eduardo (atacante, 28a), Rafael Sóbis (atacante, 22a), Marcos Assunção (meio-campo, 31a) e Jorge Wagner (meia e lateral, 29a), este último emprestado para o São Paulo e cujo o empréstimo termina dia 31.12.2007 (conforme dados do BID da CBF).
 
Entre Sóbis e J.Wagner, o  salário desses jogadores seria o principal problema, visto que o Corinthians tenta manter seu elenco abaixo dos 3 digitos de salário e luvas. Porém, no caso do Sóbis, é sabido que o jogador tem parte de seus direitos federativos vinculado ao Supermercado Sondas, que assumiria uma compensação financeira para manter o jogador em um grande clube, visando uma seleção e valorização de seu investimento (continuo especulando).
 
Obviamente que tudo isso já foi conversado e reconversado com diversas pessoas ligadas ao Corinthians, seja um jornalista conceituado de um grande jornal ligado as organizações Globo, seja um dos VPs envolvidos na negociação, seja um diretor, conselheiro ou membro do CORI, mas observando o "modus operantis" da atual diretoria, tudo pode ser possível.
 
Agora se imaginarmos uma jogada de marketing, para venda de camisas e objetos vinculados a um grande jogador, começo a desconfiar que a sirene do Parque São Jorge voltará a tocar, assim como fez com Marcelinho, com Tevez e por aí vai...
Postar um comentário