12/27/2007

Brincadeira de Natal

Passei mais um Natal com a família de minha noiva.
 
É basicamente uma família de tricolores, mas outras agremiações tem sua vez.
 
Eu sou mais um Corinthiano (com H mesmo, gosto de escrever assim que também é certo) para reforçar o time. Alias, estamos crescendo, pois as namoradas de meus cunhados e dos primos de minha noiva, são todas corinthianas, mas ainda não sabem lidar com a chacota.
 
O assunto da noite era o rebaixamento do Corinthians, teste de fogo, pois sabia que tinha de representar, apesar do fracasso.
 
Fui preparado de muita munição. Contagiei meu cunhado e viramos o jogo. Apresentei a camisa 5-3-1 que mandei fazer especialmente para a "justiça" da nomenclatura, preparei foto do Adriano em 3 momentos curiosos, questionei o patrocínio da porcada em que metade iria para as mãos de Luxemburgo e do fracasso de nadar e morrer na beira da praia sem ir pra Libertadores e a comemoração ainda que sob a derrota, entre outras coisas.
 
Ser insuportável para quem é insuportável, é ainda mais insuportável. Quem tripudia não espera revide.
 
Mas a noite não era de briga, tudo acabou bem. Todos sabem que o Corinthians é a vitrine, ninguém esperava a nossa força e ainda estão apostando que ela não será a mesma.
 
A torcida é apaixonada e apaixonante, sem qualquer explicação.
 
Rezamos, trocamos presentes, comemoramos, mas precisei fazer uma social, afinal de contas, preciso garantir meus presentes de casamento!
 
Mais um Feliz Natal!
Postar um comentário