4/12/2008

Social: da dívida ao lucro em 2 anos!

Analisando o balanço de 2007, percebe-se mais uma vez que o Clube Social é o grande vilão financeiro do Corinthians.
 
Em 2006, o clube arrecadou pouco mais de R$ 10 milhões e gastou pouco mais de R$ 31 milhões, no ano seguinte, a arrecadação pulou para R$ 12 milhões e gastou-se quase R$ 32 milhões. O resultado disso: 2006 houve déficit de R$ 24 milhões e 2007 houve déficit de R$ 23 milhões.
 
Obviamente que ao observar o balanço, é impossível não condenar o Clube Social e até a idéia de dividir o futebol do social acaba ganhando força. Citadini é um exemplo disso, pois faz tempo que ele alardeia a opinião de divisão dos departamentos, com jurídicos diferentes e até independentes, ou quem sabe reduzir drasticamente o clube social. E por um certo ponto de vista ele tem razão, afinal ao ver os balanços, quem não teria a mesma opinião?
 
Porém 2006 e 2007 foram anos da administração Alberto Dualib, ancoradas na parceria MSI em ruina, num processo de colisão que acabou (?) no rebaixamento do time. E a administração Andrés Sanchez, a quantas anda?
 
No resumo do balanço dos dois primeiros meses, o Clube Social já projeta uma redução das despesas em 10% ou até superior, pois toda a comissão técnica do Cilinho saiu com ele, além de mudanças no quadro funcional e nos serviços terceirizados.
 
O novo estatuto e uma onda de novos sócios devem elevar bem as receitas, em torno de 50%, ou seja, se em 2007 arrecadou-se R$ 12 milhões em 2008 a tendência projetada é de arrecadar R$ 18 milhões em 2008.
 
A VP Social Marlene Matheus tem trabalhado arduamente para impedir a sangria de seu departamento. Ainda este ano espera-se um déficit de aproximadamente R$ 12 milhões, praticamente a metade dos anos anteriores, o que de maneira prática é extremamente significativa. Porém para 2009, o cenário pode mudar por completo.
 
O Corinthians segue firmando parcerias para sustentar seu social, novos patrocinadores tem entrado para sustentar todas as áreas do esporte amador do clube, bem como a nova política de aquisição de bens, produtos e serviços, aliada a uma criteriosa seleção funcional, poderá resultar no fim do déficit do social, onde os diretores mais otimistas chegam a dizer que haverá lucro, pequeno, mas superávit.
 
A única forma é aguardar, pois será importantíssimo para o Corinthians chegar ao seu centenário com um financeiro impecável e principalmente sem dívidas.
 
Todos os valores estão disponíveis para consulta na sessão Transparência do site oficial do clube.
Postar um comentário