12/07/2008

Seduzido pela Madonna

Gustavo Zupak: Mala Tricolor
 
Aqui, Brasilia, capital federal. Calor. Trinta graus.

Vôo tranquilo, com aeronave repleta de sãopaulinos. A torcida do Tricolor aqui em BSB será absolutamente maciça.

Para passar o tempo, leitura da revista da TAM. Boas entrevistas com Mallu Magalhães, Gilberto Gil e João Ubaldo Ribeiro. O que mata é a tradução porca e tosca do texto para inglês, feita ao pé da letra, o que torna a leitura no idioma americano bastante ruim.

Cidade estranha. Larga. Horizontalíssima. Não há ninguém andando nas ruas, só nos carros. Tudo parecia tranquilo, caminhando para uma noite agradável, quando BUM. Estoura a bomba.

O árbitro Wagner Tardelli de Azevedo está fora do jogo de amanhã.

Tentativa de suborno.

Teria recebido, do São Paulo, ingressos para o show da Madonna.

Por mais asburda que a história possa parecer, foi o suficiente para causar um enorme alvoroço. Todos para o hotel do São Paulo, ouvir João Paulo de Jesus Lopes e Carlos Augusto Barros e Silva. Negações á parte, o sábado foi agitado. Debut em Brasilia. Choque com tamanha horizontalidade. Correria atrás de informação. Boas risadas com os amigos da imprensa. E isso é só o começo.
 
Amanhã é dia de decisão. Em Brasilia, 22 horas.
 
Comentários:
 
O São Paulo não precisa disso para sagrar-se campeão, mas é justificável, se refletirmos bem ao pesar os "estranhos" favorecimentos de outrora, num passado bem recente.
 
Quando mais sei dos bastidores, gosto menos do futebol.
Postar um comentário