12/12/2008

Morrer pela boca

O Flamengo paga pela boca, veja o que aconteceu quando tentou cortar a Nike, fazendo acordo com a Olympikus, levou um olé jurídico e foi obrigada a cumprir o contrato na íntegra. Quase viu seu patrocínio com a Petrobrás ruir após reinvindicar um substancial aumento, inveja ao ver Corinthians, Palmeiras e São Paulo fecharem acordos mais vantajosos.
 
O Fla queria comemorar o Hexa, preparou festa e já chacotava os rivais na zona da degola. Detonou o Palmeiras, mas ainda assim a torcida queria Luxemburgo. E por pouco Caio Jr. não tirou Luxa do Palmeiras, bastava uma simples vitória no final da última rodada que o Fla ia para a Libertadores e de quebra eliminaria o Palmeiras, assim Luxa estaria praticamente de malas prontas para a Gávea.
 
Aí o Fla recebeu o Ronaldo de braços abertos, foram 4 meses de namoro, vestia a camisa, fizeram campanhas, estava tudo quase certo, mas eis que Ronaldo se apresenta ao Corinthians, diz que o Fla não conversou com ele e fim do namoro, o Fla ficou a ver navios. Pior, sentiu-se traído.
 
Logo em seguida correu atrás de Adriano, mas por algum motivo, o empresário do Imperador disse que Adriano não tinha interesse em retornar ao Flamengo e que as chances disso ocorrer eram de 0%!
 
Eis que o Fla caminha para anunciar o novo técnico. Procurou Luxa que ficará no Palmeiras e só sairia com o pagamento da multa e a manuntenção do salário de comissão técnica de R$ 700 mil mensais, mas neste ponto, nem o Flamengo é tão insano. Procura-se Parreira, que jantou com Márcio Braga e ouviu o convite, mas recusou, disse que já tinha um projeto para 2009, alias projeto este que pode ser a direção técnica do Fluminense, mas Márcio Braga jura que é a Traffic.
 
O Flamengo sofre pela boca, deveria se organizar melhor, não está imune ao que aconteceu com o Vasco e quase ocorreu com o Fluminense. O Fla tem torcida, mas o problema é que só tem isso...
Postar um comentário