12/22/2008

Pompa & Circunstância

Ontem (21) foi o aniversário de Andrés Sanchez, alias, fica aqui registrado meus parabéns e o desejo de longa vida ao presidente do Corinthians. Acredito que mais de mil sócios e simpatizantes estiveram presentes na Churrascaria do Tamboréu, no PSJ.
 
Não significa que todos eles votarão em Sanchez, mas é interessante ver que o sócio está feliz com o time, satisfeito com o clube e observa com bons olhos a continuidade deste trabalho, que pode até não ser perfeito, mas é extremamente positivo.
 
Em contra partida, a oposição do Corinthians, faz oposição ao Corinthians, torcendo contra, divulgando propostas e negócios com jogadores, parceiros e empresários, tentando melar contratos, na melhor idéia de "quanto pior, melhor". Fato conversado por muitos sócios, que Sanchez vencerá não por que é melhor, mas o real motivo é a falta de uma pessoa que venha para agregar, pois o sucesso é do Corinthians da Fiel e não do Corinthians de fulano ou ciclano.
 
Agregar. Este verbo que não se conjuga entre os opositores. Quando é necessário união, fazem divisões, quando se deve participar, o que mais ocorre é a omissão e as contínuas faltas, como se fosse possível gerir a distância e delegar apenas pela força do nome que o cargo faz pesar. Onde estão aqueles que deveriam ajudar? O sócio observa QUEM quer o poder, apenas o poder do cargo, da carteirinha, do "status".
 
Hoje (22), no Buffet Mediterrâneo, a partir das 20h, haverá o lançamento da candidatura de Sanchez a presidente durante 2009 a 2011. Saberemos quem será o vice, suas propostas, plataforma e principalmente, se Sanchez cumprirá com uma promessa: a de efetivamente renovar, fazendo uma gestão onde o Corinthians estará sempre entre os melhores e que esta força se transforme em títulos, vitórias e conquistas.
 
Se haverá presença do Ronaldo, se a Musa Fiel e as concorrentes farão as vezes de hosttess vestidas de chealeaders, se haverá samba da Gaviões com direito a desfile de porta-bandeira e mestre sala, se houver clamour e a presença de ilustres torcedores (ah sim, Sócrates não vai! Mas se quisesse poderia ir e fumar!), isso é irrelevante. É que tem gente pintando o quadro com tinta de ouro, dando a idéia que "a verdade está lá fora", afinal é mais fácil apostar na crise, no desastre do que no sucesso.
 
Volto a afirmar, que Sanchez fez o mínimo do que se espera, que existe ainda um enorme caminho para transformar o Corinthians no clube da grandeza de sua torcida, mas que tirando ele, nenhum outro tem equipe (veja estou falando de EQUIPE) que nos dê confiança necessária para elevar tal resultado ao clube, seja no futebol, seja no social, ainda que se queria dividí-los isoladamente como nenhum outro clube no mundo, ainda que se torça contra, se cruze os braços de faça beiço, por não contribuir positivamente para tal crescimento.
 
Sem uma oposição coerrente, a situação sai cada vez mais fortalecida, não importa o factóide que se publica numa FOLHA ou aquelas plantadas com credibilidade apenas no rótulo... o jeito é ir planejando 2012.
Postar um comentário