3/31/2008

Santista Roxo

Por André Rizek

Mesmo sem chance de classificação, o Santos tem tudo para arrancar ao menos um empate contra a Ponte Preta, em casa, no próximo domingo.

O destino do Corinthians no Estadual – contando que vença o Noroeste – está nas mãos do Santos e isso vai gerar uma semana divertidíssima no futebol paulista.

Marcelo Teixeira fica feliz se o Corinthians não se classificar para a semifinal. Como qualquer torcedor. Mas não tenho dúvida de que o presidente santista vai trabalhar pela classificação corintiana. Como?

O colega corintiano, Andrés Sanchez, dá um telefonema. Diz que conta com o profissionalismo do Peixe e tudo o mais. E Marcelo Teixeira transmite a ordem à comissão técnica de que o clube vai mandar um time forte a campo para a última rodada.

Leão também daria um sorriso com a eliminação corintiana. Mas conhecendo o treinador aposto que ele vá preferir cobrar a conta de uma eventual ajuda ao alvinegro, vangloriando-se nas entrevistas de que o Corinthians só entrou – se é que vai entrar – porque o Peixe ajudou.

A chamada mala branca – que é dinheiro não contabilizado, diga-se –serve para aumentar a imagem de que o futebol é uma coisa de mercenário. Mas já que o próprio presidente corintiano admitiu a possibilidade, explico como ela funciona. Essas coisas são tratadas diretamente com os jogadores. Andrés telefona para Betão. Diz que o clube paga 10 mil dinheiros por cabeça caso arranquem ao menos um empate contra a Macaca.

Uma ligação para Marcelo Teixeira. Outra para Betão. E discussão para mais de metro nos próximos dias. A semana será divertida...

Aquilo roxo

Embora constrangido, aconselhei aos corintianos que estivessem com receio de sofrer represálias no estádio, por parte de um grupo de "organizados" que se opõe à campanha de marketing feita pelo clube, que não usassem o roxo. Circulava a informação de que haveria protestos por parte de alguns membros da Gaviões da Fiel contra o roxo. O torcedor comum vestiu a "nova cor alvinegra" no Morumbi. E teve uma resposta no mínimo estranha do clube, ao ver o time entrar em campo de roxo, como era esperado, mas jogar de branco, para a surpresa geral, cedendo às pressões de uma parcela de torcedores que, deu para ver por contraste no estádio, é minoria entre os corintianos.
 
 
Comentário:
 
Tal fato - o refugo em usar o manto roxo - sem qualquer explicação COERENTE, fez com que o torcedor ficasse decepcionado com a atitude, no caso culpa exclusiva à Andrés Sanchez - por conta de sua desculpa esfarrapada - falando em superstição em cima da hora com um ar de refém de organizada, motivando diversas reações contra o presidente. Nota-se, para quem esteve presente ao Morumbi, que a organizada pode até ser contra, é minoria, pois o Morumbi foi pintado de preto, branco e roxo, dentro de campo o roxo de vergonha e fora dele o roxo de raiva. A Fiel não é palhaça... agora imagine se entrar contra o Fortaleza e, bom, nem quero imaginar.

Já semana que vem, sem roxo em campo torcendo por uma vitória contra o Noroeste, com o roxo em campo torcendo por uma derrota ou empate da Ponte. Já até escutei a piadinha que leva o título deste post: Domingo o Corinthiano será Santista Roxo!
Postar um comentário