3/17/2008

Diretas Já por Felipe Ezabella

 
CARTA AOS CORINTHIANOS 
 
Caros, sou Felipe Legrazie Ezabella, corinthiano desde sempre. Em janeiro de 2007 fui eleito Conselheiro do S.C.C.P. pelos associados. Nas primeiras reuniões do Conselho, criou-se uma comissão para elaborar propostas para a reforma do estatuto e, mais uma vez, fui eleito para compô-la. Trabalhamos em grupo e acredito que as minutas apresentadas são realmente muito boas. Obviamente que alguns pontos podem ser aperfeiçoados, mas regra geral, a evolução com relação ao Estatuto vigente é imensa. 

Porém, existe um ponto de divergência que a comissão, por não chegar a um denominador comum, deixou propositadamente para futuro debate com a comunidade corinthiana. Esse ponto divergente é o sistema eleitoral, "diretas" ou "indiretas": eleição do Presidente pelos associados ou eleição do Presidente pelos membros do Conselho Deliberativo.
 
Pois bem, aqui escrevo não como um membro da Diretoria, muito menos como membro da Comissão que elaborou as minutas. Escrevo como associado e corinthiano. 
 
Escrevo para pedir, divulgar e aderir à proposta de ELEIÇÕES DIRETAS para Presidente do Sport Club Corinthians Paulista. Esse sim é o verdadeiro sistema democrático, onde um colégio eleitoral composto de todos os associados titulares e com mais de 3 anos de matricula escolhem seu representante maior.
 
Mas porquê é melhor os associados escolherem o Presidente e não os Conselheiros? 
 
No Corinthians há a necessidade de uma mudança de atitude, e essa alteração do sistema eleitoral estabelece um princípio que atende aos novos interesses sociais e morais. Certamente esse princípio atinge um segmento empedernido de nossa sociedade, acostumado com as benesses de um poder e de um patrimônio que não lhes pertence, e que resistirá a mudanças.
 
A resposta é simples, basta pensarmos o porquê da eleição para Presidente da República ser pelo voto dos eleitores e não mais dos congressistas, como na época da ditadura. A eleição pelos associados é a forma mais democrática e direta dos membros de uma comunidade escolherem seus líderes.
 
Ainda, o Conselho Deliberativo do clube é predominantemente composto por membros indicados (biônicos), tendo em vista que os associados elegeram apenas 1/4 de representantes. A nova proposta de Estatuto acaba com os biônicos, sendo a partir de agora, todos os conselheiros eleitos. Porém, essa anomalia na composição de nosso Conselho custará para ser corrigida, tendo em vista que demandará alguns anos, quem sabe décadas, para que tenhamos um Conselho totalmente composto por membros que, de alguma forma, foram eleitos, escolhidos por sufrágio.
 
Aos meus colegas conselheiros, entendam que a nossa função no Conselho não é somente votar para Presidente. Pensar assim é diminuir a importância e a função desse órgão deliberativo e consultivo. Já temos no Conselho obrigações e deveres importantes e, o novo regimento que se aproxima aumenta ainda mais as atribuições e responsabilidades do Conselheiro.
 
Falar em real e verdadeira democracia nesse país é lembrar dos trinta anos da "Carta aos Brasileiros" do Professor Goffredo Telles Jr. O Brasil mudou. Porém, o espírito e os ideais por ela propagados continuam vivos na mente daqueles que conhecem sua história. E esses como eu e muitos outros se sentem no dever de, sempre que se depararem com afronta ao seu conteúdo, agirem. Os alunos do Mestre Goffredo aprenderam com ele a defender, a qualquer custo e em qualquer ocasião, o Estado de Direito e os princípios a ele correlatos, como o da DEMOCRACIA. E é nesse princípio que o corinthiano deve se espelhar.
Conclamo aos Corinthianos que adiram a essa bandeira,

DIRETAS SEMPRE!

Felipe Ezabella, advogado, corinthiano obsessivo.
Postar um comentário