3/17/2008

Efeito Lulinha

Você conhece o volante Nilton? É o jogador que fez sete partidas como profissional pelo Corinthians em 2007, operou o joelho, voltou a treinar neste mês e, agora, negocia uma renovação de contrato. Certeza é de que você já ouviu falar no empresário dele: Wagner Ribeiro.

O homem, que ganhou fama com Robinho e se tornou um dos grandes empresários brasileiros, virou sinônimo de pesadelo para os clubes. Ribeiro especializou-se em cuidar da carreira de jovens promessas das divisões de base. Como Neymar, 16 anos, e Tiago Luis, destaques da Copa São Paulo, ambos do Santos. Como Lulinha, do Corinthians. E como Nilton.

Depois de se ligar aos jogadores – e a seus pais --, Ribeiro consegue convencer os clubes a fazer contratos de gente grande com esses moleques. Diz que o Barcelona vai levar Neymar, que o Real Madrid observa Tiago, que se o Corinthians não der uma boa grana na mão do Lulinha o garoto vai embora de graça. Obtém sucesso para fazer novo$ contrato$. E pressiona os clubes, sem o menor pudor, para que seus pupilos sejam titulares. É o que vem fazendo com Tiago Luís no Santos, um garoto, que está na reserva.

Ribeiro operou um milagre recentemente: conseguiu um aumento salarial tão grande para o Lulinha, que a multa rescisória do moleque foi parar em 50 milhões de dólares. Totalmente fora da realidade – conseguiu convencer que o Chelsea queria o menino...

Mas voltemos ao Nilton. Ribeiro quer 1 milhão de reais de luvas para o Corinthians renovar o contrato do jogador, um anônimo no futebol, voltando de cirurgia. Diz que, se não derem as luvas, ele leva o jogador de graça para o Osasuna. Mano Menezes entrou na jogada e foi conversar com o volante:

-- Desculpe me intrometer, mas preciso saber se vou contar com você. Qual é o parâmetro para pedir tanto?
-- Nosso parâmetro – disse o Nilton, em referência a seu empresário – é o Lulinha, professor.
-- Está bem. Mas o Lulinha tem uma história nas seleções de base e já foi apontado como uma das 23 maiores promessas da América Latinha. Você se destacou na seleções de base ou já recebeu uma indicação?
-- Não. Mas é que temos proposta da Europa também. Estamos usando o Lulinha como referência.

Desta vez, o Corinthians não vai pagar. E querem apostar quanto que o jogador e seu empresário terão de ceder? Um milhão de reais para o Nilton renovar. A que ponto chegamos... 
 
Texto de André Rizek, Jornalista da Placar e comentarista da SporTV.
 
Comentário:
 
Usar o Lulinha de referência? Outro mané pra ganhar uma bala pra ser vaiado pela torcida? Fala sério... prefiro meia duzia de Herreras, Acostas e Finazzis!
Postar um comentário