2/12/2008

Denilson, o craque de US$ 26 milhões

 

Denilson chegou na Copa de 98 como o grande craque, no ápice de sua carreira, extremamente paparicado pela imprensa e pela comissão técnica da época. Dribles desconsertantes e habilidosos, parecia o único que representava o futebol-arte do Brasil. Sua estréia, contra a Turquia, foi um show. Entrou no segundo tempo e ajudou a virar o jogo e ainda for perseguido por 4 jogadores da Turquia, a única cena que todo mundo se lembra dele.

Depois disso, Denilson desapareceu. Com um futebol individualista, perdeu espaço. Não foi bem contra a China, deixou de jogar contra Costa Rica e Inglaterra e na segunda partida contra a Turquia, não se achou em campo.

Que bela venda fez o time da Vila Sônia, arrecadou US$ 26 milhões pelo Denilson, que hoje mendigou jogar até no Dallas (EUA) e que, segundo sua assessoria, deixou uma boa proposta do São Caetano para a vitrine do Palmeiras de Luxemburgo.

Rivalidade a parte, pra mim o Palmeiras não precisava tê-lo contratado, não é jogador para agregar, tão pouco para unir. Suas constantes visitas a programas de televisão, participação em quadros de programas do SBT como Domingo Legal, Hebe, Viva a Noite mostra o quão preocupado com o futebol este jogador é. Mulherengo, baladeiro e bom de papo.

O Paulistão virou o centro de recuperação dos jogadores do futebol mundial! Agora é aguentar o Galvão gritando: "Denilson neles!".

 

Postar um comentário