3/03/2011

Base com estrutura e sem organização

Imagem: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press Rincón é demitido e reclama da base do Corinthians

“É claro que estou decepcionado. Quando vim para o Corinthians, eu acreditava nas pessoas. Infelizmente, só encontrei mais problemas. Não faltou estrutura, e sim organização.” disse Rincón para a Gazeta Esportiva.

Foi com Fernando Alba que a natação do Corinthians teve seu melhor momento. Na direção de esportes aquáticos, conseguiu levar o clube para a 3ª colocação no ranking da CBDA, além de reforçar a equipe com dois nomes de peso da natação: Poliana Okimoto e Thiago Pereira.

Alba assumiu a direção do futebol de base em Outubro passado, substituindo Miguel Marques e Silva e evitou criticar seu antecessor, apenas disse que faria uma reformulação na filosofia de trabalho.

A base tem sido duramente criticada por dois motivos: Um é a falta de jogadores com bom potencial na base para promover à equipe principal e o outro é a ausência de jogadores da base na Seleção Brasileira Sub-20.

Uma das situações recorrentes é a de que os garotos são aliciados por empresas e agentes, assim o clube fica refém de situações como a do jogador Lucas, ex-Marcelinho, que para permanecer na base, seu pai e procurador exigiu polpudo salário e uma casa de luvas. Antes de despontar na seleção, Lucas era apenas mais um entre tantos que somem no anonimato das chamadas “promessas do futebol”.

A saída de Rincón reacende o debate sobre a base. Será mesmo que existe um cartel oculto administrando a garotada? Teríamos empresários se aproveitando das peneiras e aliciando jogadores e suas famílias? O Corinthians continuará refém desta situação, se ela realmente acontece? São questionamentos que, apesar de não ser exclusividade do Corinthians, no Timão é vitrine.

Postar um comentário