2/13/2009

E o patrocinador é... Zzzz...

As vezes tenho a sensação que o Corinthians ainda não começou a temporada 2009. Ganhamos a copinha, mas ainda vamos eleger o presidente, não fechamos patrocínio, o Ronaldo ainda não estreou... o Carnaval nem chegou, ou seja, o ano não começou.
 
Basta abrir meu FEEDS para ler centenas de reportagens falando sobre eleições e especulações sobre patrocínio, mas é mais interessante analisar essa demora para bater o martelo sobre o patrocinador e a repercussão que isso toma dia-a-dia. As empresas Oi, Tim, Vivo, AEIOU, Nestlé, Bauducco, Bradesco, Caixa, Santander, Itaú, Localweb, Ford, VW, Fiat, Samsung, AOC, Sony, 777, 888, Ocean Air, Emirates, Etihad, etc. devem estar felizes de ter seus nomes estampados em tantos locais com debates sobre serem prováveis patrocinadores do clube de maior especulação do Brasil.
 
Opositores falam de "empresários da sorte", mas as apostas são inúmeras, até mesmo o site de apostas mundial entrou na jogada, mas a oposição dirá que o Corinthians negou o acordo por temer concorrência na banca (risos).
 
Até algumas semanas, a Emirates era apenas uma mentirinha  (já contei a história por cima em posts passados) pra enganar jornalista prepotente, mas depois de ler as considerações absurdas de Cosme Rímoli, as afirmações do craque Neto, das fantasias de Chico Lang, dos comentários desacreditados de Arruda e Perroni, vejo que um dos meus jornalistas preferidos adeririu também ao clube dos apostadores, no caso Vagner Vilaron do Jornal Diário de São Paulo.
 
Segundo Vilaron, o contrato (que segundo consta, nem o jurídico do clube tem conhecimento) já foi enviado para o dono da Emirates, que tem feito constantes atualizações e alterações.
 
Como pressionar a Emirates a fechar mais rapidamente? Bom, nada como o velho marketing de guerrilha, se deu certo com a Emirates, pode dar certo com outra empresa, a rival Etihad! Obviamente que estou especulando, mas pode não ser apenas uma "forçada de barra", mas a vaidade pode ter criado o real interesse, afinal dinheiro para eles não é nenhum problema, pra falar mais a verdade, R$ 30 milhões é basicamente uma brisa, troco de bala, caixinha, uma merreca por assim dizer. Até Benjamin Back, colunista Lance! e apresentador do Estádio 97 da 97FM entrou nessa e diz que a Etihad está no páreo.
 
Rezar por Alá, apostar num patrocínio fora da realidade, pode ocorrer até de alguém afirmar que uma delas vem para, não apenas patrocinar, mas para cobrir a oferta das empresas de manga e calção, para ter um uniforme limpo, além de construirem um estádio para abrir a Copa do Mundo de 2014, mas preciso lembrar de uma coisa: As eleições ocorrem amanhã e a realidade pode ser mais dura do que muita gente possa imaginar.
 
Não que duvide do fechamento de um acordo surreal, apenas não acredito e não apostaria, bato na tecla que teremos sim R$ 20 milhões e paro aí... mesmo porque eu sei que o Corinthians já recebeu propostas nestas cifras, alias, a Samsung teria oferecido até mais do que ofertou ao Palmeiras, mas como já citei, a multinacional teria de, além de cobrir o valor, pagar o que não pagou retroativo, até como forma de menosprezar a proposta.
 
Eleitoral? Até mesmo se Sanchez espirrar, será explorada como eleitoreira, mas voltemos para analisar o fato em si, já que a eleição potencializa a discussão, o patrocinador do Corinthians ainda nem chegou, mas é o assunto do ano, digno de entrar para a retrospectiva no fim do ano, neste ponto, o próximo patrocinador, já vai ganhar de quebra, mais exposição... pra alguns jogada de marketing, pra outros, incompetência que é brindada pela sorte. E você, acredita no que?
Postar um comentário