2/10/2009

Amplificando Dívidas

 
Não é a primeira vez que falo das matérias da Folha de SP, bem como aquelas sem dono publicadas na coluna de fofocas, ops quero dizer, no Painel FC do caderno de esportes deste jornal, sob a tutela de Eduardo Arruda e Ricardo Perrone.
 
Hoje não seria diferente, mais uma matéria que remete o leitor ao ERRO, dando a entender que este valor "sumiu", porém o que poderia ser um equivoco jornalístico, trata-se de má fé, pois os jornalistas envolvidos foram incansávelmente informados pelo titular da pasta jurídica do Clube, Dr. Sérgio Alvarenga, tanto pelo telefone, quanto por e-mails, numa forma tão bem explicada que chega a ser pratidamente didático, quase infantil, não compreender.
 
A dúvida paira sobre uma divergência de relatórios, justificada pela redução na previsão de contingências. As contingências são processos administrativos ou judiciais ainda em trâmite, onde não há julgamento ou resultado, tão pouco definição de valores DEVIDOS. É importantíssimo reinterar que não existe dinheiro a pagar ou receber, não existe dinheiro entrando ou saindo dos cofres do Corinthians! Os números são projeções sobre o que um determinado processo poderá, num futuro incerto, render dívidas ao clube.
 
O valor seria uma possibilidade, porém muito pequena, conforme foi reavaliada pelo Dr. Sérgio Alvarenga, que retificava o relatório PARCIAL, assinado pelo Dr. Gassini, numa prática normal e comum na jurisprudência. Ambos os relatórios foram alvo de avaliação da BDO Trevisan, empresa seríssima, que se quer fez ressalvas à nova avaliação.
 
Este item em discussão, trata-se de dívidas do Cofins, que não é devido por clubes de futebol, ou seja, é uma causa ganha, o valor não é devido, não figura como dívida, não tem como ser "surrupiado" como aponta outros veículos.
 
É o que acontece quando jornalistas querem ser advogados, economistas, consultores, especializados em todos os assuntos, sem ao menos pesquisar a fundo e tirar todas as dúvidas antes de publicar um impropério desses, um factóide antes das eleições visando desestabilizar uma campanha vitoriosa e uma possível eleição de quem já está no poder, trabalhando com um mínimo de que se espera, com transparência e honestidade.
 
O Dr. Sérgio Alvarenga é vice jurídico do clube, trabalha sem remuneração, atende a todos sem qualquer distinção, mas que também é uma pessoa de arquibancada, de comemorar com os amigos, de fazer uma festa e divertir-se, como qualquer Fiel torcedor, o Corinthians é também sua religião. O que lhe importa não é o cargo, é ajudar o Corinthians, por isso prestou-se de conversar ao telefone com Paulo Galdieri, transmitindo e-mails com detalhes dos esclarecimentos, porém ainda assim, a matéria se quer relata a VERDADE.
 
Tal matéria iniciou, de forma anônima - mas já sabemos que é da oposição burra - que os valores que sumiram, são valores de "Caixa 2" para pagamento de "comissões a agentes", algo providencial às vésperas da eleição! Triste, lamentável e totalmente apelativa e de má fé!
 
E sabe o mais interessante nisso tudo? é que as chances do Corinthians ter total sucesso no processo é tamanha que inclusive pode diminir o valor de projeção da dívida total...
 
Quer saber mais sobre o assunto? Não leia a Folha... afinal "é possível contar um monte de mentiras, apenas dizendo a verdade"! Por que tem gente que gosta de complicar, né? Mas isso é um direito da pessoa... vai lá, AMPLIFICA!
 
PORQUE TEM GENTE QUE GOSTA DE COMPLICAR, MAS É UMA
 
Postar um comentário