9/21/2009

Tá todo mundo louco!

Esta semana, após um longo período de férias do Corinthians  em que o time ficou no interior fazendo pré-temporada, tivemos o retorno do elenco num empate com o Coxa e o retorno de Ronaldo numa “acachapante” derrota para o Goiás.

Num clima tenso, não faltaram oportunidades para a discussão sobre o Corinthians, desde as falhas de Diego, bem como a má escalação de Mano – que erra pela segunda vez consecutiva – além dos fatos extra-campo como a política com relação à morte de Idário e os direitos de uso intelectual da música “Bando de Loucos”, que ganhou ares de inversão de valores. Bom, vamos à eles:

 

PRÉ TEMPORADA PRA QUE?

Duas semanas longe para apresentar este futebol? Lesões tiraram nossos melhores jogadores em campo, as contratações não estrearam em sua totalidade e pior, o próximo jogo será contra o São Paulo, onde esperamos que todos estejam em campo, treinados e mordendo o calcanhar adversário. Voto de confiança maior do que os cornetas da numerada coberta e descoberta que só vaiaram na partida de ontem.

 

DESCANSE EM PAZ, IDÁRIO!

Não é preciso dizer que achei nojento o que fizeram com o enterro de Idário. As informações passadas por alguns blogs, escrevendo duras críticas sobre o assunto, não sabem nada e se aproveitaram do momento para especular e criticar o Corinthians por situações pontuais, dizendo que o clube não ajudou a família. É lamentável ver que tais pessoas não respeitam nem o velório do ídolo e pior, reclamam e nem se quer ajudaram, ou seja, puro jogo político.

 

BANDO DE LOUCO OU UM LOUCO SOZINHO?

Tuca, pseudo-criador do grito “Loucos por Ti”, ingressou na justiça contra o clube, após rejeitar receber 6% das vendas das camisas. O assunto tornou-se público após a informação de Bruno Andrade do jornal Lance! e a Yule Bisseto, blogueira do Corinthians no Globoesporte.com tornarem publicos e virar alvo de debate.

Imoral um torcedor ir contra o clube ao processá-lo, visto que a motivação é única e exclusivamente financeira, já que Tuca alega justificar-se por ser alvo de chacota. Agora o coitado nem poderá ir ao Pacaembú, com receio de ser agredido. São os louros da fama e o “bando de loucos” se virando contra seu criador.

O interessante nisso tudo, que foi base de uma discussão em 2007, quando a música foi criada, é que ela é variação de uma música que um adversário cantava no passado. Não sei até que ponto eu levarei essa discussão à diante, nem sei se vale a pena ‘bater’ ainda mais no rapaz, que pode justificar o que quiser, mas ainda assim, jogou contra e pra torcida, isso é imperdoável.

Postar um comentário