1/27/2009

Eleições 2009: Stabile bate

Faltando menos de 2 semanas para as eleições no Corinthians, o clima ferve nas alamedas de Parque São Jorge.
 
O candidato da chapa "Ação Corinthiana", Osmar Stabile, tem criticado duramente a política da situação, principalmente o Marketing, onde afirmou para a Máquina do Esporte que "O marketing do Corinthians atualmente é só discurso, falta planejamento.", onde afirma que a contratação de Ronaldo foi uma forma de seduzir o torcedor, um ato para produzir impacto para as eleições. "O Ronaldo treinava no Flamengo de graça, e agora veio ganhar R$ 400 mil para correr na esteira aqui", completou o candidato ignorando qualquer outro objetivo.
 
O discurso de Stabile aponta metas de arrecadação não divulgadas, valores considerados difíceis de serem acordados, tanto que até a presente data nenhum patrocinador teria sido divulgado oficialmente pela diretoria e representaria uma "dívida" com o jogador Ronaldo, conforme informado por Caetano Blandini, um dos responsáveis pela companha de Stabile.
 
Outra critica do grupo ocorreu com a manutenção dos uniformes de treinamento e banners da Medial, mesmo após o término do contrato, onde a operadora de planos de saúde se aproveitou a presença de Ronaldo e teve uma exposição gratuita e não explorada pelo Marketing do clube, apesar de interlocutores prestarem justificativas pela logistica da fornecedora de material esportivo, bem como do bom relacionamento do parceiro que ainda seria o patrocinador que mais investiu em uma equipe de futebol no Brasil, ainda após o fechamento dos acordos de Palmeiras, São Paulo e Flamengo.
 
Stabile aponta um sucesso a campanha "Eu nunca vou te abandonar", porém rebate fortemente o fato de terem "ouvido dizer" que a camisa de R$ 45 representou apenas R$ 5 de lucro para o clube, confeccionada parte pela Poá Têxtil, a qual o candidato afirma pertencer a parentes do presidente Andrés Sanchez.
 
O grupo de Stabile aponta como a grande bandeira de sua campanha, o projeto de sócio-torcedores, similar ao existente no Internacional, que foi oferecida ao Corinthians ainda na época da parceria com a Hicks. "Se conseguirmos colocar em prática, teremos uma idéia de lucro de até R$ 84 milhões no primeiro ano", planeja Caetano Blandini.
 
Stabile tem levantado bandeiras duvidosas, pois acusa sem provas, aponta irregularidades em assuntos já exclarecidos, insistindo em levar sua candidatura para a parte polêmica e até folclórica, ao usar seus interlocutores e a mídia para ventilar tais críticas, pois o correto seria, de posse de provas do que fala, como sócio e conselheiro, apresentar acusação formal ao Conselho Diretor e solicitar formalmente a exclusão de Sanchez do quadro de sócios e o respectivo impeachement. Atitude que outros acusadores deveriam ter, porém sem provas e baseado em falsidades e leviandades, perdem a oportunidade de ficarem calados ou de apenas discutir projetos e pensar na melhoria do clube.
Postar um comentário