1/02/2008

Da série: E agora Roger?

O que será que passa na cabeça do jogador Roger?
 
Contratado como estrela pelo Corinthians e campeão em 2005, agora é desprezado por clubes como Flamengo, Botafogo, Cruzeiro, Atlético-MG e por aí vai.
 
Com salário de R$ 140 mil, Roger é uma icognita no Corinthians. A diretoria tenta usá-lo como moeda de troca, mas sem sucesso.
 
Aquela penalidade da Copa do Brasil nunca me saiu da cabeça, nem o gol contra o Corinthians sem comemoração em sua passagem pelo Flamengo, preciosos pontos perdidos.
 
Roger me desperta raiva, pois deveria ser um jogador inteligente e de toque refinado, mas cai, fatalmente, na mediocridade de sua própria arrogância.
 
Assiste de arquibancada o Corinthians despencar, sem fazer absolutamente nada para reverter usa situação.
 
Refaça o contrato, receba menos, lute, tenha culhão de mostrar que pode dar a volta por cima, que é um jogador que o Corinthians precisa. Não quero amor pelo clube, longe disso, quero amor pelo futebol, pelo esporte que contribui para sua vida mansa, que possibilita visibilidade suficiente para sair com mulheres maravilhosas e viver vida de rei.
 
Não é possível que este meia tenha sangue de barata e seja patético suficiente para não perceber isso. Pior, não faz nada para mudar.
 
O que se passa na cabeça do Roger? Eu realmente não consigo imaginar.
Postar um comentário