1/25/2008

Real Corinthians dá samba?

 
Pela Fiel, Timão muda até o escudo
Em vez de mostrar o número de títulos na camisa, entrará uma coroa e o nome da torcida
Por Cosme Rímoli - Agência Estado

O grupo que levou Andres Sanches ao poder no Corinthians não quer perder um milímetro de espaço até 2012 e pretende atropelar os adversários na reeleição em fevereiro de 2009. O JT teve acesso ao plano de modernização do clube, que inclui uma mudança histórica no tradicional escudo do clube. A Fiel torcida entrará para sempre no coração de cada jogador corintiano.

"Que adianta ficar com as estrelas representando os títulos que conquistamos? O nosso maior bem é a Fiel, a nossa torcida. Vamos colocar uma coroa e o nome Fiel acima do nosso escudo. O Corinthians é dos torcedores e joga por eles. Será uma homenagem mais do que justa", diz o vice de marketing Luiz Paulo Rosenberg.

"Adorei a idéia, a nossa torcida no peito dos jogadores. Sensacional", vibra a vice Marlene Matheus.

Para a mudança ser efetivada, basta o presidente Andres Sanches levar a proposta ao Conselho Deliberativo. E ele a levará. Na Inglaterra, por exemplo, o Liverpool já colocou no seu escudo uma frase em homenagem aos seus torcedores - You'll never walk alone - 'Você nunca vai andar sozinho.'

Parceiros fortes

O marketing rendeu ao Corinthians cerca de R$ 1,5 milhão em 2007. Rosenberg quer chegar a R$ 10 milhões no final de 2008. Para isso já conta com parceiros de ponta no mercado, como a Ambev, o Banco Panamericano, a Abril e a Nestlé.

"Nós vamos atrás do sonho dos corintianos. Vamos lançar um título de capitalização com direito a sorteio semanal e 40 revistas contando a história das nossas principais conquistas. E também já está bem adiantado um energético com a marca Corinthians", antecipa Rosenberg.

As idéias se sucedem e estão sendo colocadas em prática.

"Nós já estamos finalizando o projeto Fiel Torcedor. Vamos resolver essa história de a nossa torcida ter dificuldade para comprar ingresso. Criaremos um cartão inteligente que os torcedores podem recarregar nos guichês do Bilhete Único (da SPTrans) ou pelo computador. Pagando a mensalidade, ele terá desconto de 20% nos ingressos."

No celular, o torcedor também terá notícias exclusivas do Corinthians. Pagando R$ 5, receberá três torpedos com novidades sobre o time. O cartão de crédito Corinthians, que já existe com o Bradesco, passará a dar prêmios exclusivos. E aproximação do Corinthians com o Flamengo é definitiva.

"As duas diretorias se acertaram. O Corinthians é a maior torcida de São Paulo para baixo do Brasil. O Flamengo, do Rio de Janeiro para cima. Nós temos mais da metade da torcida do País. A Timão Tevê, que entrará para valer no ar dia 15, é um projeto que o Flamengo já estava tocando. Estamos pensando em vários projetos conjuntos."

Estádio: velho sonho

O plano mais ousado é no dia 1º de setembro de 2010 - quando completará 100 anos de fundação - o Corinthians jogar em um estádio que poderá chamar de seu. Para isso, Rosenberg se aproximou de pessoas influentes da BM&F e da Bovespa. "Queremos construir o nosso estádio. Chegamos à conclusão de que em dois anos é muito possível terminá-lo. Existem três possibilidades: construir em Itaquera ou em uma linda área da Marginal Tietê que fica bem em frente ao Corinthians. Ou então reconstruir o Pacaembu. Uma delas será colocada em prática até setembro deste ano. O nosso estádio vai sair."

Rosenberg revela que se surpreendeu com a força da torcida corintiana já na campanha que criou o 'Nunca vou te abandonar'.

"Pedi licença à Nike para fazer umas camisas pensando em animar os sócios do clube. Fizemos as camisas, mas as vendas não param de crescer (passou de 92 mil camisas vendidas.) Jogamos mais de R$ 1 milhão para os cofres corintianos. Nada mal."

Foi Rosenberg quem comandou a troca da Samsung pela Medial na camisa do time. "Os coreanos quiseram baixar de R$ 12 milhões para R$ 8 milhões porque o Corinthians foi rebaixado. A Medial aceitou pagar R$ 16,5 milhões. Quem quiser nos menosprezar ou colocar o Corinthians de joelhos vai se arrepender."

NÚMERO

92 mil camisetas já foram vendidas com a estampa 'Nunca vou te abandonar', rendendo mais de R$ 1 milhão
 
 
Comentário:
 
Não quero ser repetitivo ao falar das boas coisas que são feitas no clube, pois já fui rotulado de marketeiro da situação e amigo de Sanches, mas é preciso concordar que no Corinthians nenhuma atitude era feita para a modernização. Ouvi centena de vezes o Sr. Citadini falar da divisão do social com o futebol e concordava, mas hoje percebo que a divisão teria de ser mais profunda, como foi, a divisão de Dualib com o Corinthians. Levamos a pior, endividados e rebaixados, mas ainda com orgulho. Tenho dó de quem se diz corinthiano e continua com jogo político e perseguições abusivas e injustas com acusações sem prova ou identificação. Pura fumaça, como dizem lá.
 
Por enquanto, parabéns ao Corinthians... e cacetada, 92 Mil camisetas vendidas? Morra de inveja Casares! 
Postar um comentário