2/14/2011

Quem tem culpa, que se cale!

Quando Ronaldo assinou com o Corinthians não era nenhum segredo que suas condições físicas estavam longe da melhor forma e que dificilmente jogaria como antes.

Sofreu duras críticas ao firmar parceria com o Corinthians, mas calou muitas delas com gols surpreendentes e dois títulos, fruto de sua genialidade e uma equipe em sintonia com um bom futebol.

Quando aparentemente deixou de se esforçar tanto, as críticas retornaram e assim desde o Brasileiro de 2009, Ronaldo e elenco empurraram com a barriga as glórias de um 1° semestre sensacional. A torcida em transe apoiava, ainda que com uma ponta de desconfiança.

No ano seguinte contra o Flamengo, a eliminação foi sentida, mas a torcida reconheceu a entrega e a vontade, ainda que Ronaldo e elenco fossem criticados, foram poupados pelo centenário e a promessa de um Campeonato Brasileiro diferente do anterior.

Mano assumiu a seleça, comemoraram o centenário, entra e sai Adilson, elenco começa a perder a raça e quando poderíamos ser campeões, caímos para terceiro e a Libertadores virou pré com Tite. Ronaldo – e o elenco - sentem na pele a insatisfação da torcida.

Imputar a saída de Ronaldo à torcida do Corinthians é fazer o jornalismo sensacionalista, pois a eliminação precoce na pré-Libertadores foi a gota d’água que faltava para a falta de garra, raça, disposição e num conjunto de jogos apáticos, saímos para a chacota. Torcedor não perdoa corpo mole.

Escutei o narrador e comentarista Galvão Bueno falar sobre a torcida que o fez repensar, mediante as duríssimas críticas, que deveria parar. Dando impressão que a culpa da aposentadoria do “Fenômeno” foi por causa de mais uma ‘emboscada’ da Fiel.

Pior, parte do jornalismo da Globo, dos periódicos e da mídia em geral entrou na onda: A CULPA É DA TORCIDA DO CORINTHIANS!

Ledo engano.

Ronaldo deu o troco, em atitude pensada única e exclusivamente em sua carreira, sabendo que não renderia mais do que um tiozão no ataque, não queria aumentar mais o sofrimento próprio e do torcedor que sonhava em ver os melhores momentos de 2009 reprisados. Deu um basta.

Quem lutou contra tudo e contra todos, não ficaria intimidado com o amor da Fiel Torcida. Revolta-me profundamente os oportunistas e anti-corinthianos que resolveram colocar um ponto final na carreira de Ronaldo culpando a Fiel.

A Fiel não tolera corpo mole, não tolera gente sem raça, não tolera jogador que não está nem aí, que faz farra enquanto a torcida sofre. Seja Pelé, Garrincha, Maradona, Romário ou Ronaldo. Ninguém está acima do bem ou do mal.

Lamento que tenha gente que não consegue dividir as coisas, que não percebeu que Ronaldo já estava arrumando a casa para deixá-la, esperou um substituto chegar e sem superar o que o corpo não permite mais, entregou-se.

E como vi um amigo escrever no Twitter: Se o Santos teve Pelé, se o Flamengo teve Zico, o Ronaldo teve o Corinthians!

Postar um comentário