10/17/2011

Tite e o desabafo de 30 milhões

Técnico faz criticas à arbitragem, afirmando que nada é dito quando o prejudicado é o Corinthians!

E lá estamos nós falando sobre o tal do “apito amigo”, rótulo dado por Milton Neves desde seu programa pós jogo na Rádio Jovem Pan.

“Nesse jogo foi errado. É um absurdo. Não quero atrelar a situações passadas. Vira um Deus nos acuda quando se dá um lance a favor do Corinthians. Aí eu tenho que responder 20 perguntas, se tem apito amigo [quando Corinthians é supostamente favorecido]. É toda hora. Eu estou de saco cheio de responder isso aí. Mas quando é a meu favor... Então espera aí, deixa eu falar, pelo menos para equilibrar" [Tite]

Tite desabafou, coerentemente, sobre o fato do Corinthians ser a vitrine que – por mais absurdo que isso possa soar – não pode ser beneficiado.

Não queremos o “benefício”, mas sim queremos uma arbitragem coerente e eficiênte. É pedir demais?

"Eu tive a convicção [de que não foi pênalti]. Eu fiz o que 30 milhões de corintianos talvez fizessem. Chega, para, dá igual para os dois. Se é para um lado, o lance do Paulinho, mostra o lance do Paulinho lá. O Paulinho tira a bola e recebe pênalti" [Tite]

Foi a marcação de penalidade mais mandrake da história deste campeonato brasileiro, pois não houve se quer um choque, um toque ou mesmo algo que fosse tema de programa esportivo para ser discutido exaustivamente. Foi má fé da arbitragem e de seus auxiliares.

Sou a favor do uso da tecnologia para resolver esses dilemas, chega de jogador fazendo teatro, que é o típico cai-cai para se aproveitar de uma bola parada pois é o caminho mais fácil pro gol, não se pode fechar os olhos para o uso da tecnologia em razão do “romantismo”. Se nas divisões inferiores não for possível, paciência, mas nos principais campeonatos, vejo como obrigatório.

Desta vez, o Tite mandou bem…

Postar um comentário