10/10/2011

Estádio: Torre de Babel

Após a entrevista de Andrés Sanchez para a Revista Época, a qual afirmava que o presidente teria dito que o estádio custaria mais de R$ 1 bilhão – desmentido após Nota Oficial e transcrição do áudio da entrevista – foi a vez do Presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Senger, divulgar nota sobre o estádio.

Confira abaixo na íntegra a Nota Oficial:

 

NOTA OFICIAL

Todos os corinthianos sonham, desde a fundação do clube, com o estádio próprio e agora este sonho está se concretizando.

Os conselheiros do SC Corinthians Paulista, mais do que ninguém, estão até mesmo emocionados com esta empreitada.

Portanto, nenhum corinthiano autêntico sequer cogita a possibilidade de não irmos em frente com esta obra.

Mas, igualmente, os conselheiros, interpretando o sentimento de toda a nação corinthiana, querem obter informações básicas sobre o empreendimento.

Não é por mera curiosidade. Os conselheiros têm não só o direito, como o dever de conhecer em todas as minúcias o tipo de operação que o clube está fazendo.

Qual é o valor exato da obra? Como ela será paga? O que cabe ao Corinthians como encargo ou obrigação? Ou seja: dados mínimos para que se conheça em que base o negócio está sendo realizado.

Por isso, não se compreende a reação intempestiva do atual presidente do clube, Andrés Sanchez, ao anunciar através de seus assessores que, caso persistam as indagações a respeito da operação-estádio, ele determinará a paralização das obras e dirá à torcida para cobrar deste ou daquele conselheiro a responsabilidade pela suspensão dos trabalhos.

Presidente, o porquê desta atitude, quando estamos irmanados no mesmo ideal? O que seria: Intimidação? Ameaça? Tudo tão desnecessário, pois o momento exige uma união de forças.

Desde quando um conselheiro pedir esclarecimentos diante do maior evento econômico-financeiro-patrimonial do clube merece este tipo de resposta?

É preciso que o presidente Sanchez entenda que uma de suas obrigações estatutárias é justamente prestar informações ao Conselho Deliberativo sobre o que lhe é arguído.

Ainda mais em se tratando de tema de tamanha importância.

As negociações com a empresa empreiteira Odebrecht e o Corinthians têm, necessariamente, que ser as mais cristalinas possíveis. O contrato a respeito não pode ser uma Caixa Preta.

Impõe-se, ao contrário, que o seu conteúdo integral seja entregue formalmente ao Conselho Deliberativo como, aliás, prevê o artigo 140 do Estatuto, e mais do que isso, como se espera de uma administração que não tenha qualquer receio de revelar seus atos e espera que os mesmos sejam ratificados por este egrégio orgão, por sinal, soberano na agremiação.

Não nos esqueçamos que atual administração vive os últimos meses de seu mandato e repassará,
necessariamente direitos e deveres sobre o estádio para uma nova diretoria. Este seria ainda mais
um motivo para que não pairassem dúvidas sobre o que está contratado.

Este Conselho Deliberativo, senhor presidente, dará, sim, total amparo às arguições de seus membros a respeito de tão relevante tema. E espera sinceramente, que o senhor aceite, democraticamente, as colocações dos conselheiros que querem apenas ficar a par das tratativas já feitas e por serem concretizadas.

Afinal, é do seu próprio interesse que tudo seja esclarecido e tornado de conhecimento geral. Como corinthiano bem mais antigo que o senhor, presidente, até mesmo por uma questão de idade, experiente por ter exercido duas presidências do Conselho Deliberarivo, posso lhe assegurar que não reaja de maneira intimidativa àqueles que querem apenas tomar conhecimento dos assuntos relativos ao evento.

Pessoalmente, levo a sua reflexão a máxima de Santo Agostinho, válida para todos nós dirigentes: Prefiro aqueles que me criticam, porque me corrigem. Do aqueles que me adulam, porque me corrompem.

Carlos Senger
Conselho Deliberativo
Presidente

 

Segundo o diretor jurídico do Corinthians, Sergio Alvarenga: “O contrato está à disposição de todos os conselheiros. O que o Senger tem que explicar é por que ele não trabalha, não convoca o Conselho”, que não se reúne desde abril, conforme publicado na coluna De Prima do Jornal Lance!

O Corinthians vive uma Torre de Babel, porém às vésperas da eleição para presidente, ninguém quer publicidade negativa, principalmente relacionadas ao estádio, sonho antigo que finalmente saiu da maquete para a realidade. Os bastidores seguem em banho maria, mas muito próximo de ferver.

Postar um comentário