10/19/2010

Vamos falar sobre o Estádio…

Assunto que já não é mais o famoso tapa-buraco das crises e derrotas, porém o palco da abertura da Copa de 14 merece a devida atenção frente aos boatos que o cercam.

Ler sobre o projeto estar em perigo, que contrato não foi assinado, que duto poderia impedir a obra, que outros projetos teriam a preferencia, não passam de requentar o assunto para torná-lo polêmico novamente e, pasmem, vender a notícia.

Otimista, o torcedor que comemorou o centenário com o anúncio do estádio ficou entusiasta quando viu fotos da terraplanagem do terreno lateral que pertence à Prefeitura, afinal ver caminhões e escavadeiras no local já era indício que tudo estava começando. A obra porém é a construção de uma Fatec. Por isso, calma torcedor, ainda falta muito para começar.

Realmente o contrato com a construtora ainda não foi assinado, mas não é uma preocupação, pois a Odebrecht tem um pré-contrato que estabelece o compromisso frente algumas metas e etapas antes de sacramentar o negócio em definitivo.

O Corinthians precisa da autorização do Ministério Publico, que exige garantia para o inicio das obras, porém não aceita que o pré-contrato seja suficiente. O Corinthians necessita regularizar a questão do terreno que passa por inquérito de devolução à Prefeitura, por estar ativo necessitaria de um novo acordo, mas apesar do apoio do prefeito Gilberto Kassab, a vontade de retardar tal processo está diretamente ligado às eleições presidenciais, basta raciocinar um pouco para entender a história sem precisar escancarar os nomes dos bois e das vacas.

Sem a autorização do MP, não é possível proceder com outras etapas como a emissão de laudos e outras permissões das autoridades municipais e estaduais.

Enquanto isso, os arquitetos já receberem o caderno de encargos da FIFA para readequar o projeto para à abertura, tem orientação de continuar tocando o projeto original com a implementação das arquibancadas móveis. A parte que compete ao Corinthians para a adequação está pronta.

Para não perder tempo, o Corinthians segue o cronograma como se não fosse fazer a abertura, deixando a opção de ampliação no bolso. Recebendo a indicação do Comitê, autorização da MP, assinando o contrato e pegando o empréstimo do BNDES, restará saber quem bancará a diferença entre o projeto inicial e o Estádio da Copa com as exigências da FIFA para a abertura.

Uma das exigências é a construção de uma área de hospitalidade com mais de 106 mil m². Seria necessário pegar uma grande área do estacionamento ou mesmo a área lateral que pertence à Prefeitura, a qual já estão construido uma Fatec.

A situação é clara, o Corinthians faz a sua parte, aguarda a boa vontade dos governos municipais e estaduais, conta com a pressão do governo federal – em campanha política – o que significa uma certa indisposição em promover liberações. Quem sabe depois das eleições.

 

Enquanto isso, na pink press…

Juvenal afirma: Copa no futuro estádio do Corinthians é inviável

“Se o Blatter (Joseph, presidente da Fifa) se lesionar lá, como ele será socorrido?”

De metrozão e depois lotação, Jão! #chupajuvenal

Postar um comentário