10/16/2010

Protestimão

Quando estourou a crise mundial de 29, a venda de diversas ações de uma só vez afundou a bolsa de Nova York. Foi terrível, mas passou… o pensamento seguinte foi trabalhar para evitar uma nova crise.

Em 79, a República Islâmica no Irã provocou a alta do petróleo e um colapso internacional. Foi terrível, mas passou… os trabalhos foram para evitar novas crises parecidas.

Em 2001, em um dos maiores atentados aos EUA, mais de 3 mil pessoas morreram nas Torres Gêmeas e em aviões com destino à outros locais. Foi horrível, passou… com isso aumentaram a segurança e reforçaram toda a metodologia de vistos para o país.

É nos momentos de crise que tiramos proveito de cairmos do cavalo, batermos a poeira e voltar a cavalgar sem medo de cair novamente, erramos mas tentamos corrigir nossos erros.

Dizem que é nos momentos de dificuldade que achamos nossa verdadeira força, mas é também quando encontramos nossos piores pesadelos e fraquezas.

Após 2008 acreditei que a torcida tinha se tornado mais inteligente – quero fazer uma pausa aqui para explicar que não estou chamando a torcida de burra, apenas acreditei que existiria uma EVOLUÇÃO, ok? – pois sabiamos dividir o “achismo” da imprensa do que realmente é notícia.

“Eu nunca vou te abandonar” ficou no passado, perdemos, perdemos e perdemos. Parte da torcida se rendeu aos troféus e vitórias contra adversários, estamos numa safra tão estranha que a maioria dos tabus estão ao nosso favor. Gente celebrando (ou se vendendo) por títulos.

Óbvio que estou insatisfeito, quem em sã consciencia aguenta o Souza no Corinthians? Quando ele foi contratado sabíamos que era um erro, mas um erro tolerado até precisarmos dele.

Reclamar? Sim, faço de minha forma, ao comprar o ingresso e comparecer aos jogos, ao comprar produtos oficiais, ao assumir o marketing que o clube vende, ao aplaudir o que está certo e criticar o que acho errado. Quando se é coerente, a critica acontece quando o erro grita, o que aconteceu justamente nas últimas 6 partidas.

Adilson foi errado, quem poderia imaginar? Nosso departamento médico aparentemente falhou, quem poderia antecipar? Os principais jogadores acabaram se contundindo, quem são os culpados?

Venderam o peixe conforme a freguesia. O CeProo veio cheio de incremento, maquinário fodástico de última geração: “Vamos saber antes do problema acontecer!”, pois bem, aconteceu e parece que nada adiantou… e lá vou eu esperar a fogueira abaixar para conversar com o Dr. Grava.

Eu não concordo com o protesto de parte da torcida, quando ela faz o jogo do “tá tudo errado”, pois não está. O que está errado, vamos criticar no estádio, ir ao CT só alimenta a imprensa, parece que todo mundo quer aparecer, por amor ou terror, gente, alguém aqui acredita mesmo na sinceridade de um funcionário?

Veja, não estou criticando o torcedor organizado, estou apenas dizendo que ESTE protesto é dispensável na medida que se promove terror, a mídia quer isso e lá vai a tropa de elite para atacar.

Assistindo ao filme Tropa de Elite 2, comecei a refletir sobre o assunto no futebol. Quando uma torcida vai ao CT protestar, quando o time bota o Ronaldo pra bater, quando um anúncio é feito para apagar incendios ou esconder a verdade.

Estou preocupado, o roteiro está prontinho, apesar de acreditar que dias melhores são obrigatórios, algo me diz que nem todos os mineiros foram resgatados no Chile, será mesmo que o homem foi à Lua? A CBF estaria esquematizando tudo para não parecer uma troca de favores? A cada publicação, uma notícia é vendida, pense nisso.

Que tal mudar o protesto do CT para o estádio? Que tal cobrar a diretoria sobre os jogadores e não aterrorizá-los? Penso como empreendedor, se bem que meu lado torcedor tá super afins de chutar a porta do carro do Souza… pensamento hooligan, já passou! Vai Corinthians!

Postar um comentário