9/14/2010

Novidade na telona

Bambi-1 Bambi-2 Bambi-3

Como não lembrar de quem nunca esqueçe da gente? Afinal são “tantos títulos em bem menos de cem anos”, mas vale lembrar o retrospecto direto nesses 289 confrontos, com 110 vitórias do Corinthians, 92 empates, 87 derrotas, 422 gols pró e 390 contra.

Tudo bem, o filme deles conta a trajetória vitoriosa dos títulos nacionais, o que remete aos 45 confrontos em Brasileiros, com 16 vitórias do Corinthians, 18 empates e 11 derrotas, 44 gols pró e 42 contra. Soberaníssimo!

O Corinthians começou nas telas do cinema contando seu sofrimento, o amor de uma torcida frente ao pior momento da história do clube. Depois falou do jejum de títulos. O terceiro longa contou a trajetória histórica. Títulos? Sim, foram citados, mas não era o foco.

Longe de acusar o adversário, mas focar seu primeiro longa ostentando um nome “soberano”, exaltando o sucesso frente ao fracasso alheio como virtudes e escondendo insucessos, o nome correto seria “soberba”.

O resumo de um clube não se baseia apenas em títulos e estádio, veja o tabu que dura três anos e meio, onde a  última derrota do Corinthians frente ao São Paulo ocorreu em 11 de fevereiro de 2007. O que dizer sobre a abertura da Copa de 14? O São Paulo vacilou, deixou a faca e o queijo nas mãos do Corinthians, levou outro olé.

Quando o Corinthians ficou 23 anos sem títulos expressivos, o jejum acabou. O título de 90 foi outro sofrimento, mas aconteceu. O tetra veio com a desconfiança de uma arbitragem manipulada, longe da culpa alvinegra. O estádio que era a chacota, será o palco de abertura da Copa… são apenas exemplos que um dia, acaba. Libertadores? Soberania é ser eliminado 13 vezes!

Postar um comentário