9/08/2010

Estádio, ainda não ficou claro?

A operação para a construção do estádio do Corinthians em Itaquera é tão clara e simples que alguns jornalistas, blogueiros e periodistas tem insistido em divulgar informações inverídicas como o uso da máquina publica, entre outras mazelas.

Pedirei licença para reescrever o que me disse Raul Correa em itens, para deixar mais claro ainda o que já está mais do que transparente:

  1. O BNDES não empresa dinheiro para clubes de futebol, por isso o Corinthians montará uma empresa apenas para esta finalidade, a da construção do estádio.
  2. Esta nova empresa evita que eventuais problemas no clube recaiam sobre esse empreendimento, como pendências judiciais, fiscais ou trabalhistas.
  3. A empresa terá constituição de 99,99% Corinthians e 0,01% o atual presidente em exercício.
  4. Esta empresa contrata o BNDES empréstimo para a construção do estádio e pagará em 10 anos com 3 anos de carência.
  5. A construtora entra como fiadora do empréstimo, pois o clube não pode ser fiador do próprio empreendimento. A Odebrecht possui condições patrimoniais e histórico para tornar-se um parceiro fortíssimo.
  6. Por um valor fechado, a construtora inclui seu lucro embutido na obra e como garantia receberá o direitos ao nome da arena, mas caso os recursos não forem suficientes, o Corinthians cobrirá a diferença.
  7. A construtora sabe fazer o estádio e o Corinthians sabe vender seu nome, assim o Corinthians negociará as receitas do estádio.
  8. A obra será acompanhada de gerenciamento e auditada.
  9. Com o estádio 100% do Corinthians, gerando receitas brutas estimadas de 100 milhões por ano, o valor projetado é bem superior à parcela do BNDES que é estimada em R$ 33,5 milhões anuais.
  10. O risco é do Corinthians, porém tudo bem analisado e projetado, sem parceiros ou co-gestores.

Vale lembrar que além de tudo isso, o estádio não terá cativas, mas venderá camarotes que não serão isentos de ingressos.

Caso o estádio seja escolhido definitivamente como palco da abertura da Copa de 14, o Corinthians apenas informa que não colocará recursos próprios para adequá-lo, não aceitará recursos públicos – pelo menos em discurso – mas não recusará se a FIFA investir o restante do valor para finalmente credenciar São Paulo para a Copa.

Será que é necessário desenhar para compreender melhor o fato de que o estádio de Itaquera é do Corinthians e com o dinheiro do Corinthians será erguido? Que por ser um estádio construído do zero, já estará no padrão FIFA?

Não adianta, amanhã terá outro escrevendo algum tipo de asneira, de maneira recalcada, denegrindo o mais novo empreendimento do clube.

Postar um comentário