5/03/2012

Árbitro foi caseiro, mas qual a novidade?

assalto Tite pediu um tempo antes de dar entrevista depois do empate contra o Emelec.

Nervoso, esperou esfriar a cabeça para comentar a partida.

A atuação do colombiano Jose Buitrago foi caseira, inverteu faltas, usou critérios distintos para amarelar metade do time do Corinthians e ignorar a atuação do Emelec.

Com um jogador a menos durante todo o segundo tempo, o Corinthians se segurou como pode, enquanto o Emelec vinha embalado por sua torcida e por ter a conivência da arbitragem.

Mas falar de arbitragem na Libertadores é chover no molhado. Sabemos que isso acontece. Era mais do que esperado a pressão, a hostilidade e a arbitragem caseira.

Porém lhes pergunto, na volta qual o tratamento que deverá ser oferecido ao Emelec?Não está no momento dos times brasileiros pagarem com a mesma moeda?

Tem que evitar que entrem em campo para preservar o gramado, tem que pintar as paredes do vestiário de amarelo pouco tempo antes do jogo, tem que deixar a torcida deles entrar somente no meio do segundo tempo, tem que fazer pressão e ser muito, mas muito esperto, com requintes de crueldade!

Postar um comentário