3/15/2012

Muito mais do que apenas propaganda!

Ivan Marques, o novo diretor de marketing do Timão, tem 53 anos, evita usar frases feitas ou jargões e assume o lugar de Luis Paulo Rosenberg com o desafio de ampliar receitas e divulgar ainda mais a marca Corinthians.

Seu primeiro desafio a curto prazo, será a renovação do contrato de patrocínio, que termina em abril. Com a preferencia de renovação com a Hypermarcas, o Corinthians tenta arrecadar R$ 52 milhões em um parceiro único ou R$ 56 milhões com mais de um patrocinador (incluindo mangas, axílas, barras e números). A montadora Hyundai chega como possibilidade.

Além disso, o Corinthians segue com a estratégia de identificar as fontes de receita e monitorá-las, bem como compreender melhor a opinião de seus torcedores pelas redes sociais, como forma de estar em sintonia e ampliar as receitas. Para isso está criando o conceito de CRM e interligando áreas por meio de um novo TI.

A definição do naming rights parece ser uma decisão a longo prazo, apesar de informalmente – ou seja, extra-oficial - o Corinthians teria proposta no valor de R$ 250 milhões de um banco e também de uma cia aérea, porém o foco é chegar aos R$ 400 milhões e todas as negociações são tratadas com sigilo.

Em entrevista ao Blog do Menon, Ivan Marques diz não acreditar em uma “espanholização” dos principais clubes de massa no Brasil ao compará-los com Barcelona e Real Madrid, entende a força dos clubes de massa, mas acredita no poder financeiro que o Corinthians pode gerar por ter uma torcida mais fidelizada.

Corinthians-Sao_Paulo-Santos-marketing-provocacao_LANIMA20120302_0075_39[3]

Outro assunto debatido foram as gozações com os rivais, sobre o lançamento das camisas ironizando São Paulo e Santos, a resposta esclareceu muita coisa:

“É perigoso se as pessoas não souberem brincar. Quem faz uma gozação precisa estar preparado para receber o troco. Nós estamos dando o troco. O Santos fez uma camisa utilizando as pedaladas do Robinho em cima do Rogério. Chamava Pedalada Eterna. Depois, em um jogo da Vila, entraram com uma faixa falando em Centernada. Agora, respondemos. Quanto ao São Paulo, eles tiveram uma fase de muitas conquistas na mesma época de poucos conquistas nossas. E os diretores tripudiaram muito. Ironizaram bastante. Agora, é hora da nossa brincadeira. Cabe a eles aceitar ou não. O interessante é que esses dois times que brincaram conosco tem grande desvantagem em confrontos diretos com o Corinthians. E olha que ficamos mais de dez anos sem ganhar do Santos. O nosso rival é o Palmeiras, que não fez nada e contra quem temos desvantagem.”

Resumindo, a ação foi uma “resposta” e com relação ao Palmeiras, o clube não pretende fazer nenhuma ação similar. O momento que nosso rival vive já é constrangedor demais.

 

Leia a entrevista de Ivan Marques no Blog do Menon no Trivela!

Postar um comentário