1/26/2012

A prática do bullying jornalístico.

E o sucessor do megalomaníaco expulso do clube faz seu dever de casa.

Bastou o Corinthians consagrar-se octocampeão da Copa São Paulo, para disparar seu encomendado post falando da pressão dos campeões invictos sobre a diretoria do Timão.

Segundo o periodista, técnico olha com desdém e só abrirá oportunidade se houver intervenção de cartolas ou dirigentes. A justificativa seria a pouca idade.

Quando ouviu o gerente de futebol dizer que, incluir atletas num elenco já montado. Deduziu que era desculpa esfarrapada, afinal é início de temporada.

Pra finalizar, emendou uma lógica só dele, de que apenas os apadrinhados chegariam ao time principal.

Vamos aos fatos, apenas para compreender melhor COMO FUNCIONA.

O regulamento da Copa São Paulo só permite jogadores de até 17 anos.

Apesar do potencial do time campeão invicto, nem todos tem maturação suficiente para chegar ao profissional.

Na base, os garotos ficam ansiosos para despontar, depois de uma Copa São Paulo, vitoriosos, com campanha exemplar, fica difícil disputar competições sem visibilidade como os torneios Sub-20, quase inexistentes.

Será que o periodista tem a solução pra esta equação? Subir todos os jogadores? Inchar o elenco quase duplicando os atletas e sem causar a insatisfação de alguns que não serão relacionados? Existe espaço para todos e, pasmém, salário?

Esta é uma dificuldade de todos os clubes, não apenas do Corinthians. Se tivéssemos um campeonato de aspirantes, possívelmente essa pseudo pressão, seja política ou mesmo apadrinhada, seria menor.

E no mesmo portal, falou-se no abandono da base. Matéria publicada no início da copinha e republicada no final dela. Ambas se apegando na declaração de Andrés Sanchez que lamentou não ter dado atenção devida à base.

Falou-se da mudança provisória do local de treinamento, quando Itaquera virou palco do estádio e abertura da Copa de 14 e os meninos obrigados a treinar no Flamenguinho de Guarulhos. Tadinhos, abandonados.

Fernando Alba assumiu e foi criticado. Com ele veio Denis, Doni, Jair, Edimilson e outros, criticados. Veio Marcelinho Paulista, outro criticado. Narciso chegou com um título pelo ex-clube e por isso foi poupado, mas chegaram a insinuá-lo como mercenário. Resumindo, tudo era ruim no terrão do abandono.

Lamento muito que o periodista e seu portal usem uma conduta jornalistica tão parcial, tão equivocada, tão inoportuna, tão fútil, que me permite suspeitar de suas reais motivações.

E outra, um leitor pode ser enganado uma vez ou outra, mas difícilmente será enganado sempre. A minha audiência para este mané termina aqui.

Postar um comentário