10/01/2012

Pesos e medidas distintas regem o nosso futebol!

Recebi uma mensagem do leitor Daniel, a qual transcrevo abaixo, relativo a falta de critério no julgamento do STJD:

 

Fala Marcelo.

Por favor escreva um post sobre a palhaçada que é o STJD a falta de critério e politicagem do mesmo. Acaba de sair o julgamento da Porcada.

O time perdeu 4 mandos de campo, sendo que o Cruzeiro tinha perdido 6.

O Luan foi suspenso por 3 jogos e o Emerson foi por 6 por algo infinitamente menor. (O Luan quase iniciou uma briga generalizada e ameaçou o arbitro)

Agora é bem capaz que o Wallace pegue mais jogos de gancho que o Luan.

O Barcos não foi acusado pelo chute no Wallace. O Neymar não foi acusado pelo pisão no guilherme do Corinthians no jogo da Vila. O Marcos Assunção nao foi acusado por incitar a violencia, insinuando o atirando a torcida contra o Romarinho.

Outro dia vi que o Corinthians tinha sido multado por iniciar um jogo atrasado. Na libertadores e no inicio do campeonato brasileiro cansei de ver o Santos atrasando o inicio da partida ou mesmo a volta do intervalo. Alias a Vila Belmiro sofreu alguma punição devido aos incidentes da Libertadores?

Também acho que seria válido escrever o tanto que o juridico do Corinthians é fraco. Nunca ganha nada.

Você é uma das poucas pessoas que tem grande visibilidade, por nós torcedores. Sua voz é a nossa.

Saudações,

Daniel

 

Concordo em gênero, número e grau com o Daniel. O que tem acontecido é uma verdadeira palhaçada, onde nós somos os palhaços dessa micagem.

E vou além, ao falar também dos critérios da arbitragem, onde um Luis Fabiano pode fazer pose de Bolt, Neymar faz dancinha e Romarinho não pode sequer beijar o escudo. Um absurdo.

A falta de critério influencia também no STJD, onde o árbitro pode – quase uma regra – agravar a situação na súmula. Pesos e medidas distintas foram adotadas contra o Luan do Palmeiras e Emerson Sheik do Corinthians.

Enquanto Luan foi agraciado na súmula do árbitro, Sheik foi sumariamente condenado. Aí, não tem Zanforlim ou Carlão que dê jeito.

Isso vai mudar? Não. É politicagem, é frescurite, é clubismo… é poder! Quanto maior a visibilidade, maior será o ego de quem estiver envolvido. Assim, o árbitro fará o Corinthians exemplo, o STJD fará do caso que o Corinthians estiver exemplo e assim sofremos por ser vitrine. O jeito é doutrinar nossos atletas em campo, pois fora dele, nada mudará!

Postar um comentário