10/29/2009

Dindin para a reforma do elefante!

dinheiro publico glauco UOL: Governo libera R$ 400 mi para construção e reforma de cada estádio para Copa de 2014!

O Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderá financiar até 75% do custo da obra, sendo o teto de R$ 400 milhões. Será de três anos o prazo de carência e de 12 anos o prazo para pagamento. Será cobrada a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 1,9% ao ano.

Caso o valor total seja utilizado pelo clube proprietário do Morumbi, para honrar este compromisso terá de arcar com o valor de R$ 3 milhões mensais.

Arrecadar tal montante não será algo simples, apesar dos camarotes e parcerias que podem render bons resultados para o Morumbi, será necessário promover shows e ceder seu espaço para outros clubes da capital.

Para isso, a partir de 2014, o Morumbi será um estádio acessível e com diversos parques de estacionamento, além do Metrô na porta. Com 70 mil lugares, o time mandante pode sair do estádio com um lucro de R$ 1 à 4 milhões.

Será necessário convencer outras diretorias, a FPF e a CBF, para evitar coincidência de datas, abrigando assim um número maior de partidas no estádio, consequentemente ofertando maior lucratividade ao Morumbi e seduzindo parceiros a ampliarem seus investimentos.

Acredito que a necessidade futura motive os dirigentes do mandatário do Morumbi a interferir na cessão do Pacaembu ao Corinthians, bem como é contra a construção de um novo estádio em Itaquera. Para o Morumbi, o melhor é o Corinthians sem estádio, de preferência quando Andrés Sanches deixar a presidencia, fazendo seus principais jogos justamente no Morumbi.

Obviamente que se existirá uma alternativa via BNDES para os estádios da Copa, deveria ser ampliada a situação para todos os clubes, afinal de contas, não deve ser um privilégio exclusivo de um seleto grupo de clubes, no caso São Paulo, Internacional e Atlético-PR, mas algo que privilegie todos. Para a Copa, precisaremos mais do que um estádio, precisaremos de centros de treinamento e locais apropriados.

É nisso que o Corinthians tem pensado também ao desenvolver o projeto do CT do Parque Ecológico, onde uma possível grande seleção poderá treinar e até fazer jogos treinos com jogadores do clube.

Sobre o Pacaembu, fica aquela pergunta: Se o estádio no projeto apresentado ao Corinthians pode dar lucro, quais os motivos da Prefeitura querer ceder o estádio para o Timão? Eu sei a resposta, sei dos motivos, sei até que uma proposta bacana aguarda pacientemente a decisão do clube, mas marketing, burocracia e um pouco de cabeças duras, travam a tão sonhada casa alvinegra.

Enquanto isso, assistimos o Morumbi, o estádio da Copa de 2014, ser eleito, brigado, exaltado e focado, ainda que o estado de São Paulo fique apenas com um jogo sem expressão, com a abertura à moda do Pão de Queijo. É de doer…

Postar um comentário