11/03/2010

Pequeno e sem estádio…

Ex-presidente do peixe busca acordo para não prejudicar clube.

A Vila Belmiro foi penhorada por conta da dívida de R$ 17 milhões emprestados pelo Colégio Santa Cecília, da família Teixeira e mais R$ 15 mi de um empréstimo do Banco Safra em que o Marcelo Teixeira foi avalista. A solução é pagar ou fazer acordo, porém o ex-presidente não quer prejudicar o clube tomando o estádio ou até mesmo alguns atletas.

O fim justificam os meios? Quanto custa ter uma geração vitoriosa de Diego e Robinho para depois reeditar com Ganso e Neymar? Pelo que assistimos, vale a pena endividar-se para formar equipes campeãs.

Este é o tipo de notícia que era comum no Corinthians da era Dualib, quando em 2003 a chacota era a penhora da Fazendinha pelo ex-atacante Luizão, mas rapidamente ignoradas ao levantar um caneco.

O preço dessas administrações não acontecem em curto prazo, alguns esperam por milagres governamentais como a Timemania outros a isenção fiscal e tributária, mas poucos são os clubes que conseguem equalizar suas dívidas e entregar um clube redondo para a próxima administração.

Postar um comentário