9/22/2014

É uma vergonha!

Ao sair de campo após a derrota, Ganso esbravejou para a BandNews o título desta coluna.

A desculpa recaiu sobre o árbitro Luiz Flávio de Oliveira numa tentativa de explicar o rendimento tricolor. Porém nenhum atleta foi contundente em apontar quais foram os erros da arbitragem.

O mandante Corinthians venceu, mesmo estando duas vezes em desvantagem no placar.

O primeiro gol, alvo das criticas e #mimimi adversário, o árbitro seguiu as instruções da comissão de arbitragem da CBF, que por sua vez, tem seguido as instruções da FIFA, aumentando o rigor na marcação de penalidades quando a bola toca na mão ou braço dentro da área. E Antônio Carlos coloca a mão na bola, #fato.

O segundo gol, apesar do claro exagero na entrada de Álvaro Pereira em Guerrero, ainda teve torcedor tricolor que justificasse um eventual toque na bola, esquecendo totalmente a entrada desleal.

Duas penalidades indiscutíveis, diga-se, mas foram duas penalidades a favor do Corinthians, o queridinho da Globo, parceiro da CBF, protegido da arbitragem e #mimimi vai chorar na Cantareira!

Foi uma partida muito interessante de assistir, pois o Corinthians teve maior volume de jogo, porém sem ser efetivo no ataque. Neste ponto o São Paulo mostrou-se que veio para se defender, pois só criou chances em bolas paradas. E foi assim que chegou a marcar 2 gols.

Gosto de ler blogs de jornalistas adversários, onde posso entender melhor a visão de quem acompanha o time e enxerga mais do que o placar e o Corinthians enfrentou um time sem líder e sem ligação com o ataque.

Luis Fabiano não apareceu, foi substituido por Michel Bastos. Alan Kardec virou centroavante e cansou. O Corinthians marcou forte, partiu pra cima e incrivelmente não se acomodou com o empate.

Danilo, apesar de não ter a condição física de dois anos atrás e de estar fora de posição nos dois gols adversários, foi o maestro da partida e brindado com um passe delicioso para Guerrero marcar.

Corinthians vence o freguês São Paulo, mais uma vez. E sim, “é uma vergonha!” por conta de alguns detalhes:

  • A briga dentro do estádio entre torcedores organizados do Corinthians por conta de discussões ocorridas fora da Arena e posicionamento de bandeiras e grupos. Foi relatado na súmula não apenas a briga, mas um isqueiro arremessado em campo, que podem render a perda de mandos de campo ao clube.
  • O posicionamento da defesa do Corinthians que levou dois gols de bola parada em falhas de marcação. É preciso decidir se a jogada será feita em linha para impedimento ou se haverá marcação avançada dos atacantes. Não dá pra vacilar assim, duas vezes, na mesma partida.
  • Ausência de Rogério Ceni, que se aposentará nesta temporada, não teve oportunidade de completar o gol 100 tomado pelo Corinthians. Com ele em campo, o placar teria sido mais elástico.
  • O Corinthians levou 4 amarelos e 1 vermelho. Vai precisar de elenco para compensar essas ausências e em conjunto com as convocações será difícil manter uma mesma equipe até o final do campeonato.

Por fim, não menos importante, após a derrota contra o Flamengo e o empate contra a Chapecoense, Mano e Gobbi chamaram o elenco olho no olho. E no vestiário, após o empate em casa, Mano anunciou um dia a mais de concentração.

O bônus – aquele gás a mais e a vontade de vencer – coincidentemente ocorreu com um prêmio de R$ 15 mil para cada titular pela vitória contra o São Paulo. O Corinthians paga por vitória e empate, mas acerta tudo ao final do campeonato. Vencer garantiu o churrasco do final de semana da boleirada. É ou não é uma vergonha?

Pra fechar o “É uma vergonha!”, o que falar do nosso rival Palmeiras? Em seu centenário, uma eminente queda pela terceira vez para a segunda divisão… como podemos passar em vitórias se nosso rival não joga conosco? Não é assim que se faz.

#VaiCorinthians

Postar um comentário