2/02/2014

Rolezim e a falta de bom senso!

Perdeu, playboy! De novo…

Uma das maiores folhas salariais do Brasil, o elenco que já foi campeão da Libertadores, do Mundial Fifa, do Paulista e da Recopa sucumbiu pela terceira vez seguida no campeonato regional neste começo de temporada.

Perdeu para times de terceira, segunda e primeira divisão. Tomou 9 gols, 7 deles nas últimas duas partidas. Levou uma sovada do Eterno 7x1 e quase retribuiu o placar. O Corinthians tem o pior início de Paulista dos últimos 10 anos.

Para ajudar, o elenco entrou desatento e visivelmente desestabilizado. Vacilou na defesa e, aos 3 minutos, já estava atrás no placar.

No gol da macaca, a bola passou por 4 defensores do Timão. Sim, 4 jogadores perdidos na defesa, nem o Casillas pegava aquela bola.

Sem uma jogada efetiva, sem a ligação do meio campo e com a retranca da Ponte, o Corinthians foi pouco efetivo. Tentou cruzamentos e chutes de longe, de Sheik e Guilherme, porém sem perigo.

O Corinthians ficou durante o primeiro tempo com mais posse de bola e chegou a equilibrar, quando aos 32 minutos, Guilherme levantou para Uendel, que cabeçeou num lindo gol.

No segundo tempo, parecendo dejavu, aos 3 minutos, Ferrugem recebeu de Alemão, ameaçou chutar, limpou a zaga e marcou. Chorou de alegria, junto com outros tantos revoltados torcedores de raiva.

O Timão bem que tentou, mas o goleiro da Ponte fez boas defesas, duas vezes Guerrero tentou, mas sem sorte.

E não faltou apenas sorte, faltou organização tática, faltou entrosamento, faltou cabeça fria… Gil foi expulso aos 39 minutos e Paulo André aos 45 minutos do segundo tempo.

Pato entrou para jogar 20 minutos, mas se já não recebia bola com o elenco completo, sem dois em campo, nem tocou na bola.

Mano Menezes não entende que a culpa seja do esquema tático, da fragilidade da defesa ou de eventuais problemas extra-campo como a invasão do CT por um grupo de torcedores em protesto.

Lembrou do começo de Tite, quando ano passado perdeu de 4 da Portuguesa e 2 da Ponte. E frisou que não vê os jogadores não assimilarem a nova forma de atuar. Mano está errado. Pode até não ser o esquema, mas uma acomodação herança de 2013, o ano da soberba.

Os jogadores entraram, jogaram e sairam sem falar nada. Orientação da diretoria e da comissão técnica, que entendem que qualquer palavra poderá inflamar ainda mais a revoltada torcida e ampliar a crise.

Não vou entrar no mérito do protesto com a invasão do CT. O Corinthians vai apurar, parece tormar providências para evitar novos incidentes ao fazer o BO. Eu não estava lá, não vi nada além das imagens já divulgadas pela mídia, porém soube por fonte de confiança que as imagens do circuito interno já estão na polícia para identificar os invasores.

A torcida está certa de pressionar, protestar e cobrar. Não está certa em invadir e agredir. Tivemos um 2013 cheio de motivos para evitar isso, desde o incidente em Oruro e os mandos perdidos por conta da “raiva de momento”. Deixem o Mano e a diretoria trabalharem em paz!

E meu recadinho particular para Paulo André: Você é inteligente demais para não entender que sua imagem como líder do Bom Senso não pode ter relação com um zagueiro do Corinthians que anda devendo em campo. Decida-se qual caminho quer seguir.

#VaiCorinthians

Postar um comentário